Após atuação conjunta do MPE/AL e MPF, Governo do Estado nomeia profissionais para Maternidade Santa Mônica e ativará 26 novos leitos neonatais

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

Após reunião com o Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL) e recomendação do Ministério Público Federal (MPF), o Governo do Estado nomeou 158 aprovados que estavam na reserva técnica do concurso para a Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), realizado em 2014.

Foram nomeados 10 médicos neonatologistas, 13 nutricionistas, 32 enfermeiros especializados em neonatologia, 100 técnicos em enfermagem, 2 técnicos de radiologia e 01 farmacêutico. As nomeações possibilitarão a entrada em operação de 26 novos leitos na Maternidade Santa Mônica. São 15 vagas na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) e 11 na Unidade Terapia Intensiva (UTI), todas destinadas a recém-nascidos.

“É uma conquista importante para Alagoas, um avanço no atendimento à gestante de alto risco. Os leitos já existiam, estavam equipados, mas faltavam as nomeações dos profissionais capacitados para o funcionamento. Sabemos que ainda há muito o que fazer para o poder público atender a população de maneira ideal, entretanto estamos trabalhando por estas melhorias”, declarou a promotora de Justiça Micheline Tenório, titular da 26ª promotoria de Justiça da Capital.

Luta antiga

A reunião que serviu para alinhar as nomeações aconteceu no final de maio e foi o ápice de uma luta contínua do Ministério Público. Além do MPE/AL, o encontro contou com a presença de representantes da Procuradoria-Geral do Estado de Alagoas (PGE), Uncisal, Secretaria Estadual de Saúde e da diretoria da Maternidade Santa Mônica.

“Essas nomeações são o resultado veio de uma luta antiga que travamos para melhorar a assistência materno-infantil de Alagoas. Acompanhamos a situação da Santa Mônica há muito tempo. Sempre estivemos agindo nas mais diversas situações, tento judicial, quanto extrajudicialmente, fazendo recomendações e ajustando de que maneira as melhorias poderiam ser efetivadas. Com essas nomeações, conseguimos avanços significativos nesse sentido”, declarou.

A promotora de Justiça ainda destacou a parceria com o Ministério Público Federal, que em fevereiro expediu recomendação para que o Ministério da Saúde adotasse providências para a suspensão dos repasses referentes ao Programa Rede Cegonha, no que dizia respeito aos valores relativos aos leitos que estavam à disposição, entretanto, inativos.

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas