“Fale Educação”, do Ministério Público, leva primeira turma de alunos de escola pública para conhecer a Assembleia Legislativa e os trabalhos desenvolvidos pelo Parlamento

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

Uma turma de alunos de Escola Estadual Onélia Campelo, situada no conjunto Santos Dumont, em Maceió, foi recepcionada pela promotora de Justiça Cecília Carnaúba e deputados estaduais, na tarde desta quarta-feira (9), na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE). A visita faz parte de um cronograma de atividades com 14 unidades de ensino da rede pública selecionadas pelo projeto “Fale Educação”, do Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL), que tem o propósito de despertar cidadania e conscientizar os jovens dos seus direitos.

O grupo de estudantes do Ensino Fundamental teve o primeiro contato com os deputados, promotora Cecília Carnaúba e servidores da Casa de Tavarez Bastos logo na recepção. Nas boas-vindas, foi feito um panorama explicando a iniciativa de levá-los à Assembleia, também resumindo a importância de saberem quem são os parlamentares e quais as suas funções.

“A visita está dentro do projeto Fale Educação e o que o Ministério Público quer é justamente fazer com que os jovens entendam o papel de cada instituição, quais são os seus direitos e deveres dentro desses níveis de poder e despertar neles o poder de questionar, cobrar. Assim, consequentemente, todos poderão nos ajudar no combate a corrupção”, explicou Cecília Carnaúba. 

A primeira parada da visitação foi no plenário do Legislativo, onde os deputados e a Assessoria de Comunicação providenciaram a apresentação de um vídeo com explicações sobre o processo de atuação do Parlamento e contando a história de Tavarez Bastos, justificando o nome escolhido para aquela Casa.

Os alunos ficaram frente à frente com os deputados Jó Pereira, Ricardo Nezinho e Bruno Toledo,  da Comissão de Educação da ALE, além de Rodrigo Cunha. Os parlamentares se mostraram abertos a questionamentos, detalharam o que é uma sessão plenária, como trabalham diariamente, a responsabilidade que têm em criar leis e como ocorrem as aprovações dos projetos.

Para eles, levar o cidadão, nesse caso em específico os estudantes, para conhecer os trabalhos do Parlamento, reforça a democracia. Os deputados também esclareceram para os jovens que todos têm a obrigação de acompanhar o que os seus representantes fazem, de que forma atuam, bem como o direito de fazer cobranças.

Em plenário, os deputados interagiram ainda mais com os estudantes, que estavam acompanhados de um professor. Numa linguagem mais solta, eles fizeram perguntas relacionadas a realidade dos adolescentes e comparativos com as ações defendidas na ALE.

A aluna Chrisley Graziele, do 8º ano B, aprovou a iniciativa e garantiu que levará consigo uma ideia diferente do Poder Legislativo. “É a primeira vez que venho à Assembleia e todos fomos muito bem recepcionados. Eu aprendi, de fato, quem é o deputado, como ele trabalha. Aprendi também que ele faz as leis, representa as pessoas de todo o Estado e que a gente tem obrigação de fiscalizar as atividades de cada um”, disse a estudante.

 

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas