MPE/AL discute criação do Conselho Municipal de Segurança em Coruripe

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

Discutir a criação do Conselho Municipal de Segurança Pública e a implantação de um Centro Integrado de Segurança na cidade de Coruripe. Esses foram os assuntos da audiência pública realizada, nessa quarta-feira (06), pelo Ministério Público do Estado de Alagoas. A reunião de trabalho foi coordenada pelo procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, pelo diretor do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça (CAOP), José Antônio Malta Marques, e contou com o apoio das promotoras de justiça Hylza Paiva Torres e Gilcele Dâmaso, que atuam na cidade.

Para um público formado por autoridades ligadas à Segurança Pública, gestores municipais e sociedade civil organizada, o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, reforçou a implementação de projetos de combater à violência precisa da parceria entre população e instituições públicas. “O nosso papel principal é fomentar a criação dos Conselhos e, acima de tudo, incentivar a participação da população desse instrumento tão importante e que, ao lado do Ministério Público, da Prefeitura e da Câmara de Vereadores, poderá ser o catalisador para o avanço da diminuição de situações de violência”, afirmou.

O procurador-geral de Justiça também ressaltou a necessidade de se investir em políticas públicas que permita a sociedade exercer sua cidadania. “Apenas a instalação do Conselho ou dos Centros Integrados não resolverão a questão. É preciso investimentos em educação, em infraestrutura e saúde para população. O cidadão deve ter seus direitos reconhecidos. Só com todas essas ações e união de forças audi~encias públicas como a de hoje serão menos necessárias”, disse.

O diretor do Caop, promotor de Justiça José Antônio Malta Marques, deixou claro os conselhos são ferramentas que facilitarão a criação e efetivação das ações que visam garantir a segurança da população alagoana. “O Conselho é um instrumento intermediário entre o cidadão e as instituições. Um canal estreito para auxiliar no combate à violência. Vários segmentos serão representados e o cidadão terá a garantia que seus pleitos serão ouvidos. É necessário mudarmos o sistema e conscientizarmos os gestores municipais da necessidade de se envolverem diretamente na questão”.

Além do procurador-geral de justiça e do promotor de justiça José Antônio Malta Marques, estiveram presentes ao evento e compuseram a mesa de discussões as promotoras de justiça Hylza Paiva Torres e Gilcele Dâmaso. A cúpula da Segurança Pública marcou presença com o secretário-executivo de estado de segurança pública, Manoel Acácio Júnior; o representante do comando-geral da Polícia Militar de Alagoas, tenente-corornel Welligton Bittencourt; e o diretor do gerenciamento da Polícia Judiciária do Agreste, Valdecks Pereira. O prefeito de Coruripe, Joaquim Beltrão, e o presidente da Câmara de Vereadores do Município, Mesake Padilha, representaram os gestores públicos da cidade.

Titular da 1ª Promotoria de Justiça de Coruripe, a promotora Hylza Paiva Torres afirmou que é preciso mais do que o efetivo policial nas ruas para se diminuir situações de violência. “A segurança pública nãos e faz apenas com polícia. Outras instituições, e principalmente os gestores das cidades e a população, têm que caminhar juntos. Todos são elos e precisam se fortalecer e assim produzir ações preventivas, efetivas e eficientes, que bem planejadas podem mudar a realidade. O Centro Integrado servirá para esse fortalecimento e vamos trabalhar para sua instalação aconteça brevidade. A população precisa sentir-se segura e não pode mais sentir medo”.

Já a titular da 2ª Promotoria de Justiça de Coruripe, a promotora Gilcele Dâmaso, acredita que Conselho Municipal e do Centro Integrado são modelos modernos de políticas públicas voltadas para o melhor interesse da população. “Acredito muito na participação do povo para encontrar e planejar ações de combate à violência. Além disso, acredito que esse modelo do Centro, onde polícia civil e militar trabalham de modo integrado, é moderno e eficiente. Então, vamos trabalhar para que a instalação desse dois instrumentos aconteça o mais rápido possível e a população de Coruripe volte a ter dias mais tranquilos”.

O secretário-executivo de estado de segurança pública, Manoel Acácio Júnior anunciou o reforço no policiamento da cidade com a criação do Centro Integrado de Segurança Pública. “Qualquer ferramenta de auxílio para as estratégias adotadas pela secretaria de segurança são bem-vindas. O Centro integrado que ativaremos em Coruripe terá quatro viaturas da PM e duas Polícia Civil. Isso significa mais 24 policias trabalhando no Município. Estamos de portas abertas para ouvir os pleitos da comunidade de Coruripe e junto com a população, os gestores público e o Ministério Público possamos achar soluções para o combate à violência e não há dúvida alguma que estamos no caminho certo”.

O prefeito de Coruripe destacou o trabalho do Ministério Público no planejamento de ações para combater a violência na região. “A vinda do Centro Integrado e dos Conselhos serão de grande importância para retomarmos a cultura da paz em Coruripe. Acreditamos que a ajuda das promotoras de justiça foi fundamental para ajuda de dois tão importantes instrumentos para nossa cidade. Não economizaremos forças para que a iniciativa tenha sucesso”, declarou.

Fotos: Claudemir Mota

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas