Ministério Público realiza audiência para esclarecer erros no resultado do processo seletivo 2018 da Uncisal

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

O Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/Al), por meio da 20ª Promotoria de Justiça da Capital, começou a ouvir todos os envolvidos no processo seletivo 2018 da Universidade Estadual de ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal). Nesta quarta-feira (31), o reitor Henrique de Oliveira Costa prestou esclarecimentos sobre a contratação do Instituto AOCP, organizador do certame, e quais foram as providências tomadas pela instituição de ensino depois de ser informada do erro na correção das provas do vestibular.

Já o Instituto AOCP, apesar de notificado, não enviou nenhum representante para participar da audiência. O promotor de justiça Sidrack do Nascimento entrou em contato com a presidência da instituição, localizada no Paraná, que alegou não ter recebido a notificação em tempo hábil para organizar a vinda de um preposto para Alagoas. Assim, foi marcada para a próxima terça-feira (06) uma audiência com a organizadora do processo seletivo.

“É preciso que todo os envolvidos apresentem suas versões. Essa é uma situação crítica e delicada, exige cuidado na análise e nas decisões a ser tomadas. Ouvimos a reitoria da Uncisal e daremos o mesmo espaço para as explicações do Instituto AOCP. Após esta etapa, analisaremos as declarações e documentações apresentadas e adotaremos o procedimento que acreditamos resolverá essa situação. Entretanto, é preciso ressalta que em caso de falta do instituto na próxima audiência o Ministério Público tomará as providências cabíveis nestas situações”, declarou o promotor de justiça.

Explicações

Durante o depoimento, Henrique de Oliveira Costa alegou que ao assumir a gestão da Universidade Estadual, em outubro de 2017, já encontrou finalizado o processo de escolha do Instituto AOCP como empresa responsável pelo vestibular. Ele ainda ressaltou que a seleção da empresa paranaense foi atestada pelo corpo jurídico da Uncisal e Pela Procuradoria Geral do Estado de Alagoas.

Segundo o reitor, após a divulgação da lista de aprovados no vestibular, ocorrido na sexta-feira (19), recebe a notificação do Instituto AOCP de que o resultado estava anulado, pois havia acontecido um erro na correção das provas, apenas na segunda-feira (22), primeiro dia de inscrição dos alunos aprovados quando já havia 13 alunos matriculados e que as matrículas foram suspensas imediatamente. Ainda de acordo com Henrique Costa, a mensagem enviada pela empresa organizadora do certame, a correção das provas aplicadas no primeiro dia do vestibular foi realizada com o gabarito das provas feitas no segundo dia e vice-versa.

Ainda foi dito ao promotor Sidrack do Nascimento, que reitoria da Uncisal já solicitou ao Instituto AOCP os espelhos das provas do certame e outras informações técnicas que expliquem o erro ocorrido.

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas