Após pedido do Ministério Público acusado de estuprar criança de 12 anos é condenado a mais de 10 anos de prisão

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

Após pedido do Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL), por meio da Promotoria de Justiça de São José da Tapera, o réu João Antônio Fontes Pereira dos Anjos, acusado de estuprar a menor T.V.S.M., de apenas 12 anos, em 2012, foi condenado pela juíza Marcella Pontes de Mendonça, nesta quinta-feira (1). O réu teve a pena definitiva fixada em dez anos e dez meses de prisão, a ser cumprida inicialmente em regime fechado.

O caso foi elucidado após os relatos da vítima, e a constatação de 100% de compatibilidade entre materiais encontrados na calcinha usada pela menor, no dia do crime, e analisados por meio de exame de DNA, no laboratório de Genética Forense, da Perícia Oficial. A peça íntima foi apreendida pela polícia quando ocorreu o abuso sexual e estava suja com manchas de sêmen e sangue.

Em depoimento, João Antônio tentou se defender alegando que a relação foi com o consentimento da criança, o que foi negado por ela à magistrada. À época do crime, o acusado também tinha menoridade, o que fez a magistrada decidir pela redução da pena em 1/6, totalizando, segundo a sentença, em dez anos e dez meses de prisão.

Ao formalizar o pedido de condenação, o promotor Max Martins, da Promotoria de Justiça da cidade, foi categórico ao afirmar que ““As provas eram contundentes. O exame de conjunção carnal deu positivo e indicou a violência sexual. Além do resultado do DNA apresentado pelos peritos oficiais”.

Para o promotor de Justiça, Max Martins, o papel do Ministério Público e do Poder Judiciário mais uma vez foi cumprido. “As mulheres que são vítimas desse tipo de crime, não devem desacreditar na Justiça. É importante denunciar”, ressalta Max Martins.
A audiência de instrução e julgamento teve início em fevereiro de 2014 com depoimentos da menina T.V.S.M., e de uma testemunha de acusação, sendo retomado em agosto de 2017.

Crime

No dia do crime, a menor T.V.S.M., de 12 anos, retornava para casa por volta das 19h, quando, ao passar por uma rua pouco iluminada, foi surpreendida e agarrada pelo acusado, que a puxou pelos cabelos e braços, tapou a sua boca e a arrastou até um curral. No local, o réu conseguiu imobilizar a vítima, e, com um revólver em punho, passou a lhe ameaçar de morte e agredi-la fisicamente, ocasião em que também praticou o estupro.

O caso aconteceu no Sertão de Alagoas, na cidade de São José da Tapera.

 

Foto: Claudemir Mota

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas