Após reunião no MPE/AL, impasse envolvendo trajeto do ônibus nos conjuntos Village Campestre e Graciliano Ramos é resolvido

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

Após atuação do Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL), por meio de um trabalho conjunto das Promotorias de Justiça da Fazenda Municipal e do Consumidor, o impasse que envolvia a mudança no itinerário das linhas de ônibus que servem aos Conjuntos Graciliano Ramos e Village Campestre I e II foi resolvido. Durante reunião, realizada nesta quarta-feira (18), com os representantes da instituição ministerial, moradores dos conjuntos, Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) e da empresa Real Alagoas foi decidido que as alterações serão canceladas e um novo estudo será entregue e discutido com a população em um prazo de 30 dias.

A reunião foi comandada pelo promotor de justiça de defesa do consumidor, Max Martins e pelos promotores da Fazenda Municipal, Fernanda Moreira, Jorge Dória e Marcus Rômulo. Também ficou determinado que em breve acontecerá uma inspeção nas linhas dos ônibus para saber como estão funcionando e que melhorias podem ser apontadas.

“O mais importante é que o interesse público prevaleceu. Ouvindo a população, a SMTT resolveu fazer um novo estudo para, futuramente, estabelecer um novo trajeto para os ônibus. Mas antes a população será ouvida e dará sua opinião. A intenção é beneficiar os moradores dos conjuntos e otimizar os trajetos para que fiem mais rápidos. Além disso, em breve faremos uma inspeção no atual itinerário para saber como ele funciona, para que, se necessário, possamos ter base e argumentar com mais profundidade sobre futuras mudanças”, afirmou o Max Martins.

A promotora de justiça Fernanda Moreira lembrou que as mudanças são possíveis e até previstas nos contratos das empresas. Entretanto, é preciso sempre levar em consideração as reais necessidades da população antes de sua efetivação. “Qualquer modificação é possível, e prevista em lei. Mas é preciso obedecer critérios e atender ao interesse do consumidor. Claramente, o novo trajeto adotado não agradou aos moradores dos conjuntos. Ou seja, eles sentem que a mudança não atende aos interesses dele. Todos foram ouvidos, a SMTT usou do bom senso, e chegamos a um denominador comum”, disse.

“O importante é servir aos cidadãos, a satisfaçãod eles é o mair importante. Claro que entendemos a necessidade da mudança e a otimização dos erviço e acreditamos que essa era a intenção da prefeitura e da empresa que cuida das linhas que servem aos conjuntos. Mas essa otimização precisa se coadunar com a rotina dos cidadãos. Esperaremos o próximo estudo, ouviremos a população e em conjunto, novos benefícios serão implementados”, declarou o promotor Marcos Rômulo.

O promotor de Justiça Jorge Dória afirmou que o Ministério Público vai acompanhar os estudos envolvendo as futuras mudanças nos trajetos. “Sem dúvida que seguiremos acompanhando qualquer proposta para novos itinerários na região dos conjuntos Graciliano ramos e Viallage I e II

Além dos promotores de justiça, dos representantes da SMTT e dos moradores, a reunião contou com a presença da procuradora do Ministério Público de Contas de Alagoas, Stela Mero.

Impasse

O impasse começou quando mudanças propostas pela SMTT foram colocadas em prática, no início da semana passada, e duas linhas das linhas que passam pelo local foram transformadas em uma. Segundo os representantes do órgão, elas foram adotadas para diminuir o tempo de espera dos usuários nos terminais e pontos de ônibus. Entretanto, os moradores afirmaram que o trajeto triplicou e portanto passou a levar mais tempo para ser percorrido. Além disso, eles alegaram que o novo itinerário ficou unificado e linhas servindo aos conjuntos e as adjacências, o que superlotava os veículos. Ele pediam que os coletivos voltassem a operar como antes, com cada região tendo suas próprias linhas.

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas