GNCOC se reúne em Alagoas para discutir combate à corrupção e as facções criminosas; Alfredo Gaspar toma posse como presidente do Grupo Nacional

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

Teve início em Maceió, nesta quinta-feira (30), a 2ª Reunião Ordinária do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC), colegiado vinculado ao Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG), que reúne todos os Ministérios Públicos dos estados e da união. No encontro, promotores e procuradores de justiça estão discutindo o combate às organizações criminosas e a importância da inteligência no enfrentamento à corrupção. Na ocasião, os chefes dos Ministérios Públicos Estaduais de Alagoas e do Ceará, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto e Plácido Barroso Rios, respectivamente, foram empossados como presidente e vice-presidente do GNCOC.

A solenidade teve início com a posse da nova presidência do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas. Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, chefe do MPE/AL, eleito para presidir o GNCOC por um ano, agradeceu a escolha do seu nome e prometeu intensificar o combate ao crime por meio de ações integradas entre todos os MPs brasileiros. “Iremos combater a corrupção, sem criminalizar a política, porque a democracia é o único caminho que nós temos. Vamos também enfrentar duramente as facções criminosas e a lavagem de dinheiro, além de investir nos serviços de inteligência. E não faremos isso sozinhos, cumpriremos essa missão irmanados, já que juntos somos muito fortes. O GNCOC cumprirá seu papel, honrará sua trajetória e trabalhará por todos aqueles que tombaram em defesa da sociedade”, declarou ele.

O procurador-geral de justiça do Ceará, e até então presidente do Grupo, Plácido Barroso Rios, deixou a presidência do GNCOC para se tornar o vice-presidente do colegiado. “Deixo de forma tranquila a presidência porque estou entregando-a ao colega Alfredo Gaspar, que se destaca especialmente pela dedicação que tem com a área de combate às organizações criminosas. Tenho certeza que o nosso Grupo está em excelentes mãos e, a mim, cabe um sentimento de orgulho em passar o cargo para um homem tão comprometido. Enfrentamos um problema gravíssimo, fruto da desigualdade social que reina em nosso país, aliada ao abandono de nossos presídios e a falta de investimentos na segurança pública. Mas sabemos que continuaremos buscando parcerias, já que o caminho que dispomos passa pela união de todas as instituições públicas”, disse Rios.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, prestigiou a posse. “Hoje eu deveria acompanhar o presidente da República a uma vista ao Rio de Janeiro, mas pedi licença para não ir. Fiz questão de estar presente a esta solenidade por entender a importância do papel desempenhado pelo GNCOC no combate ao crime organizado no Brasil. Os senhores lidam com a questão central da nosso Ministério, que é a segurança pública, e é claro que eu precisava vir para que pudéssemos discutir detalhes sobre o enfrentamento ao crime, sobretudo, aquele que é praticado por bandidos organizados. Como sabemos do perfil combativo do novo presidente Alfredo Gaspar, seguirei na certeza de que ele buscará parcerias e convergências. Só assim, poderemos enfrentar os problemas envolvendo esta temática”, argumentou o ministro.

O governador de Alagoas, Renan Filho, também esteve presente à cerimônia. “Esse grupo é importante para garantir a redução da violência no país, que é um grande mal enfrentado pela sociedade hoje. E com um alagoano no posto de presidente do GNCOC, o Brasil terá emprestada a força de um profissional que tem uma rica trajetória nessa área. Nosso desejo é de sucesso aos novos dirigentes”, afirmou o chefe do Poder Executivo.

A solenidade de posse foi prestigiada por dezenas de promotores, procuradores de justiça e servidores do MPE/AL, pela Associação do Ministério Público de Alagoas, por membros do Conselho Nacional do  Ministério Público,  do Poder Judiciário, secretários estaduais e representantes das forças armadas e das Polícias Federal e Rodoviária Federal, além de empresários do setor produtivo local.

O tema da 2ª reunião

A 2ª Reunião Ordinária do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas tem em sua programação duas palestras e reuniões setoriais com grupos temáticos, que serão acompanhadas por membros dos Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de todo o país.

A palestra “Proposta de base nacional de informações sobre facções criminosas”, será ministrada pelo promotor de justiça Sebastião Pena, coordenador do setor de inteligência do Ministério Público de São Paulo. Já a palestra “Inteligência e combate à corrupção por meio da análise de dados e estratégias para o seu controle” ficará a cargo de Wesley Vaz Silva, do Tribunal de Contas da União.

O GNCOC

O GNCOC integra o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG). Ele é formado por membros dos Ministérios Públicos Estaduais e da União. O colegiado tem papel essencial no combate às organizações criminosas e atua em investigações relevantes, como combate aos crimes de corrupção e tributários, lavagem de dinheiro, tráfico e crimes cibernéticos. É também responsável por articular ações em âmbito nacional ou regional visando a uniformização e o fortalecimento de ações de combate ao crime organizado.

Por meio da capacitação de membros e servidores do MP brasileiro, o GNCOC tem ainda a missão de disseminar novas metodologias, práticas, técnicas operacionais e troca de informações e experiências nas ações de investigação.

 

Fotos: Anderson Macena

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas